Windows Phone – Nokia Lumia!

Semana passada tivemos o lançamento dos Nokia Lumia 710 e 800 aqui no Brasil. E o Caverna repetiu a campanha que está sendo feita no mundo inteiro… Meu celular comeu poeira do Windows Phone. Vejam o vídeo abaixo:

Anúncios

Acessando aplicativos via TS através de clientes Linux

Hoje com o aumento da interoperabilidade no mundo empresarial, os desafios estão sendo cada vez maiores. No mundo dos servidores uma das integrações mais feitas é a de servidores de arquivos com autenticação no AD, para que os usuários dos desktops windows possam ver seus arquivos de uma forma transparente, como se tivessem trabalhando em um ambiente homogeneo.

Uma outra crescente também são os desktops linux ingressando nestes ambientes, principalmente em micro e pequenas empresas que não querem gastar com o licenciamento ou não querem entrar no mundo da pirataria, então aderem ao mundo do software livre, porém acabam enfrentando um outro problema, a maioria das aplicações existentes para um mundo corporativo são para ambientes Windows, então como vou usar essas aplicações no meu desktop linux?

 

Para essa pergunta a solução é simples e bem antiga, usar o TS (Terminal Services ou Serviços de Terminal) em um servidor Windows 2003 ou o RDS (Remote Desktop Services ou Serviços de Área de Trabalho Remota) em um servidor Windows Server 2008.

Se o usuário precisa de usar apenas uma aplicação basta definir ela na guia ambiente no perfil do usuário Windows, mas e se caso precisa executar mais de uma essa solução não funciona, para isso existe uma solução simples para o mundo Linux chamada Seamless rdp, mas o que ele faz?

O Seamless é um modo integrado no rdesktop que permite que você execute somente a aplicação Windows que queira, através da linha de comando, para isso basta um parâmetro do lado do comando rdesktop para ele funcionar do lado do cliente, isso será demonstrado mais a frente. Mas e no servidor não é preciso configurar nada? Sim em um servidor 2003 é necessário 3 passos para isso:

1º – Baixe o seguinte arquivo: http://www.cendio.com/seamlessrdp/seamlessrdp.zip
2º – Extraia o arquivo para uma pasta no seu servidor. Ex: C:\seamlessrdp\
3º – Use e Aproveite.

No Windows Server 2008 é necessário duas configurações a mais:
1º – Habilitar o RDS: Conforme o site: https://msmvps.com/blogs/msvirtualization/archive/2011/01/11/instalando-o-remoteapp-server.aspx
Nota: No site fala para habilitar a configuração mais segura, porém como não é uma solução para o mundo Windows habilite a opção: “Allow connections from computers running any version of Remote Desktop (less secure)” (Permitir conexões de computadores executando qualquer versão da Área de Trabalho Remota)
2º – Na configuração do RemoteAPP (Iniciar > Ferramentas Administrativas > Serviços de Área de Remota > Gerenciador do RemoteApp), vá em RD Session Host Server (Servidor de Host da Sessão da Área de Trabalho Remota) e habilite a opção “Allow users to start both listed and unlisted programs on initial connections” (Permitir usuários iniciar ambos aplicativos listados e não listados sobre conexões iniciais)

Com o seu servidor Seamless instalado basta agora basta executar o aplicativo do lado do cliente, para isso, como dito anteriormente, basta adicionar um parâmetro na linha de comando do rdesktop que é a letra A (em maiúsculo) com isso se caso você queira executar a calculadora do Windows digite o seguinte comando no terminal do Linux:

rdesktop -A -s “caminho_do_seamlessrdp.exe_no_seu_servidor calc” “ip_ou_nome_do_servidor_seamlessrdp”

Ex: rdesktop -A -s “C:\seamlessrdp\seamlessrdpshell.exe calc” “192.168.0.1″

Agora o desktop linux já está preparado para executar aplicações Windows, mas como disse anteriormente essa solução só é interessante se o usuário precisa de executar mais de uma aplicação e para automatizar segue um script para facilitar a vida:

#!/bin/bash
echo "1 - VSphere"
echo "2 - Calc"
echo "3 - IE"
read -p "Escolha o Programa:" OPT
case $OPT in
1) rdesktop -A -s "C:\seamlessrdp\seamlessrdpshell.exe C:\Program Files\VMware\Infrastructure\Virtual Infrastructure Client\Launcher\VpxClient.exe" "192.168.0.1";;

2) rdesktop -A -s "C:\seamlessrdp\seamlessrdpshell.exe calc" "192.168.0.1";;

3) rdesktop -A -s "C:\seamlessrdp\seamlessrdpshell.exe C:\Program Files\Internet Explorer\Iexplore.exe" "192.168.0.1";;

*);;
esac

Este script realiza o seguinte
1º – Pede para o usuário digitar o número a qual pertence o programa que quer executar: 1 para o VSphere da VMWare, 2 para a calculadora e 3 para o IE
2º – Armazena o valor na variável OPT
3º – Entra no case e dependendo do valor executa o programa desejado
Nota: Neste exemplo o caminho seamlessrdpshell.exe está na pasta “C:\seamlessrdp” e o servidor tem o endereço 192.168.0.1

Nota: Personalize da maneira que melhor lhe atender.

Pronto, você agora você já tem um ambiente configurado e automatizado para executar aplicações Windows através do Seamlessrdp e aproveitar ao máximo.

PS: Para essa solução é necessário licenças de TS (Windows Server 2003) ou RDS (Windows Server 2008), que o preço é bem inferior ao de uma licença Desktop Windows.
PS2: Para quem gosta do Wine e diz que ele pode executar essa tarefa, uma observação, ele pode fazer isso, mas não com a mesma facilidade e a estabilidade do Seamlessrdp.
PS3: Para quem é do mundo Windows essa solução é semelhante ao RemoteApp do Windows Server 2008.

Fonte:CooperaTi

Principais comandos do terminal no Ubuntu

Para quem mexeu com o sistema operacional mais usado no mundo, ou melhor, Windows, a vida inteira, ao começar a usar o Linux e suas extensões toma alguns sustos e nota que ambos são bem diferentes, não possuem nenhuma ramificação de semelhança. Para começar, não ache que terá todos os joguinhosdo Windows no Linux, pois são arquivos totalmente diferentes, a não ser que use algum emulador ou então o Wine, mas não com a mesma qualidade de um S.O sozinho. Recomendo então para você, que já usa Windows há um tempo, que faça a instalação do Linux em dual-boot, pois caso não se acostume, volte para o windows normalmente. Enfim, vamos ao que interessa.

Aqui, logo abaixo temos alguns comandos básicos do terminal para o Linux, na frente de cada comando, colocarei o que ele faz, e com quais outros ele pode ser ligado, então, mãos à obra!

1. ls (lista o conteúdo de um diretório)
Exemplo: $ ls

2. ls -a (lista os diretórios, arquivos oculto e executáveis)
Exemplo: $ ls -a

3. ls -l (Lista o conteúdo de um diretório detalhadamente)
Exemplo: $ ls -l

4. pwd (mostra o diretório corrente)
Exemplo: $ pwd

5. cd (muda de diretório)
Exemplo: $ cd /etc

6. cd – (volta para o diretório anterior)
Exemplo: $ cd –

7. cd .. (volta um diretório acima)
Exemplo: $ cd ..

8. cd ~ (volta para seu diretório /home)
Exemplo: $ cd ~

9. mkdir [pasta] (cria uma pasta com o nome desejado)
Exemplo: $ mkdir programas

10. mkdir [pasta1] [pasta2] (cria pasta1 e pasta dois ao mesmo tempo)
Exemplo: $ mkdir teste1 teste2

11. mkdir -p [pasta]/[sub-pasta] (cria um diretório e um sub-diretório)
Exemplo: $ mkdir -p teste3/teste3_1

12. rm -r [pasta/arquivo] (deleta uma pasta ou arquivo)
Exemplo: $ rm -r teste3

13. mv [arquivo1] [arquivo2] (renomeia uma pasta)
Exemplo: $ mv teste teste2

14. mv [arquivo] [caminho] (move o arquivo para um determinado caminho)
Exemplo: $ mv imagem. jpg ~/t4k_slack/Wallpapers

15. cp [arquivo] [caminho] (copia um arquivo para um determinado caminho)
Exemplo: $ cp imagem.jpg ~/t4k_slack/Wallpapers

16. ln -s [caminho] [link] (cria um link)
Exemplo: $ ln -s /usr/bin/limewire limewire

17. type [executável] (busca o caminho de um executável)
Exemplo: $ type limewire

18. cat > [arquivo] (cria novo arquivo) Exemplo: $ cat > teste.txt

19. cat [arquivo1] >> [arquivo2] (acrescenta arq.2 em arq.1)
Exemplo: $ cat teste1 >> teste2

20. touch [arquivo] (cria um arquivo)
Exemplo: $ touch teste

21. diff [arquivo1] [arquivo2] (compara os dois arquivos)
Exemplo: $ diff teste1 teste2

22. locate [arquivo] (localiza o arquivo desejado]
Exemplo:$ locate JimiHendrix. jpg

23. head [-linhas] [arquivo] (mostra as primeiras linhas de um arquivo)
Exemplo:$ head -10 texto.txt

23.tail [-linhas] [arquivo] (faz exatamente o contrário do comando anterior)
Exemplo:$ tail -20 texto.txt

24. less [arquivo] (mostra o conteúdo de um diretório)
Exemplo:$ less texto.txt

25. more [arquivo] (mostra o conteúdo de um arquivo)
Exemplo:$ more texto.txt

26. nl [arquivo] (mostra quantas linhas tem no arquivo)
Exemplo:$ nl texto.txt

27. wc [arquivo] (lista número de linhas, palavras e bytes de um arquivo)
Exemplo:$ wc texto.txt

28. [comando1] | [comando2] (conecta dois processos)
Exemplo:$ vi /etc/X11/xorg.conf | more

29. sleep [tempo] && [comando] (executa um comando em um determinado tempo)
Exemplo:$ sleep 2 && pwd

30. echo [mensagem] (exibe uma mensagem em seu shell)
Exemplo:$ echo Olá Big Linux

31. alias [comando/atual] [comando_novo] (muda o nome de um comando)
Exemplo:$ alias dir=ls -l

32. history (lista os últimos 500 comandos que você digitou)
Exemplo:$ history
33. su (muda para o super usuário root, precisa da senha)
Exemplo:$ su, no Big Linux para ter acesso como administrador sem digitar su, digite “sudo su” sem aspas.

34. su [usuário] (muda para outro usuário, também necessita da senha)
Exemplo:$ su fulano

35. shutdown (reinicia o sistema)
Exemplo:$ shutdown

36. reboot (reinicia a máquina com emergência)
Exemplo:$ reboot

37. passwd (troca sua senha)
Exemplo:$ passwd

38. uname (mostra o sistema operacional)
Exemplo:$ uname

39. uname -a (mostra o sistema operacional, nome da máquina, versão do kernel e etc)
Exemplo: $ uname -a

40. dmesg (mostra informações do sistema)
Exemplo: $ dmesg

41. top -d [segundos] (informações detalhadas dos processos)
Exemplo: $ top -d 3

42. ps (mostra os processos corrente “PID”)
Exemplo: $ ps

43. killall [programa] (força o término de um programa)
Exemplo: $ killall xmms

44. xkill (transforma o ponteiro do mouse em um assassino de programa)
Exemplo:$ xkill
45. mkfs.ext2 (formata um disquete em formato Linux)
Exemplo: $ mkfs.ext2 /dev/fd0

46. superformat (formata um disquete em formato DOS)
Exemplo: $ superformat /dev/fd0

47. vmstat [-tempo] (mostra a memória swap em uso)
Exemplo: $ vmstat -2

48. arch (mostra a arquitetura do seu PC)
Exemplo: $ arch

49. lsmod (lista os módulos da sua máquina)
Exemplo: $ lsmod

50. insmod [módulo] (levanta um módulo forçadamente, requer root)
Exemplo: # insmod spca5x

51. adduser (adiciona um usuário no sistema, requer root)
Exemplo:# adduser

52. userdel [usuário] (deleta um usuário, requer root)
Exemplo: # userdel fulano

53. userdel -r [usuário] (deleta o usuário e sua pasta que se encontra no diretório /home,
requer root)
Exemplo: # userdel -r fulano

54. chfn [usuário] (muda informações de um usuário, requer root)
Exemplo: # chfn fulano

55. chage -M [dias] [usuário] (expira um usuário, no dia pré-determinado, requer root)
Exemplo: # chage -M 20 fulano

56. display [imagem.jpg] (mostra uma imagem no X, necessita do ImageMagick)
Exemplo: $ display imagem. jpg

57. convert [imagem.png] [imagem.jpg] (converte o formato .png para . jpg, necessita
também do ImageMagick)
Exemplo: $ convert imagem.png imagem.jpg

58. chmod (altera permissões)
Exemplo: # chmod 666 /dev/hdd

59. mount [device] (monta um dispositivo)
Exemplo: $ mount /mnt/cdrom

60. umount [device] (desmonta um dispositivo)
Exemplo: $ umount /mnt/cdrom

61. eject (abre a gaveta do cd-rom)
Exemplo: $ eject /mnt/cdrom

62. eject -t (fecha a gaveta do cdrom)
Exemplo: $ eject -t /mnt/cdrom

63. halt (desliga o PC)
Exemplo: $ halt

64. date (informa o dia e a hora)
Exemplo: $ date

65. hostname (informa o nome da máquina)
Exemplo: $ hostname

66. du [diretório] (fornece o tamanho de um diretório)
Exemplo: $ du pasta

67. du -S [sub-diretórios] (fornece o tamanho do sub-diretório)
Exemplo: $ du -S sub_pasta

68. [comando] & (inicia um processo em segundo plano e deixa o terminal livre para
trabalhar)
Exemplo: $ gkrellm &

69. cal (mostra um calendário do mês atual)
Exemplo: $ cal

70. cal [ano] (mostra os 12 meses de um determinado ano)
Exemplo: $ cal 2005

71. last [-quantidade] (mostra informações sobre os últimos logins, onde em quantidade
você indica o número de logins)
Exemplo: $ last -10

72. tar -zxvf[arquivo.tar.gz] (descompacta um arquivo em formato .tar.gz)
Exemplo: $ tar -zxvf amsn-0.94.tar.gz

73. tar -jxvf [arquivo .tar.bz2] (descompacta um arquivo no formato .tar.bz2)
Exemplo: $ tar -jxvf gkrellm-0.12.tar.bz2

74. clear (limpa a tela do shell)
Exemplo: $ clear

75. free (mostra detalhes sobre a memória RAM)
Exemplo: $ free

76. time [comando] (mede o tempo gasto para abrir um programa)
Exemplo: $ time amsn

77. uptime (mostra o tempo desde do último boot)
Exemplo: $ uptime

78. lsattr [arquivo/diretório] (lista atributos de um arquivo ou diretório)
Exemplo: $ lsattr arquivo

79. whereis [executável/comando] (localiza o caminho de um executável/comando)
Exemplo: $ whereis amsn

80. who (mostra quem está conectado ao sistema nesse momento)
Exemplo: $ who

81. wget -c [URL] (faz download de arquivo na internet)
Exemplo: $ wget -c http://www.lugar.do.download/

82. whoami (mostra quem se logou primeiro no sistema)
Exemplo: $ whoami
83. lspci(lista os componentes PCI do seu computador)

Exemplo: $ lspci

84. init 6 (faz reiniciar o computador mais rápido)

Exemplo: $ init 6

85. init 0(faz desligar o computador mais rápido)
Exemplo: $ init 0

86. startx (inicia a interface gráfica padrão do sistema)

Exemplo: $ startx

Dicas:

1) Para listar todos os comandos disponiveis num terminal basta apertar TAB duas vezes, o terminal vai pergunta se você quer ver todos os comandos. Display all 3466 possibilities? (y or n)

Então basta aperta y ( yes-sim ) e todos os comandos serão listados, se apertar n ( no-não ) sera cancelado a listagem.
o numero de “possibilities” pode variar.

2) Para saber mais sobre o comando basta adicionar –help na frente exemplo:

wget –help

lspci –help

obs: geralmente os helps são em ingles.

3) O terminal tem sensibilidade com maiúsculas e minúsculas, tudo tem que ser digitado da maneira exata de como é escrito.

Acrescente 23GB a sua conta do Dropbox [UPDATED]

O Dropbox é um dos melhores serviços de armazenamento na nuvem que temos notícia, mas, em média, um usuário comum tem 5GB disponíveis para usar, o que pode ser pouco para alguns usuários desse serviço.

Dropbox

A HTC é uma das poucas fabricantes que tem um acordo com o Dropbox que dá direito, aos donos de dispositivos da marca taiwanesa que trazem a IU Sense 4.0, a espaço extra. Mas um hack divulgado pelo pessoal do Fórum XDA, permite que você aumente também a capacidade de armazenamento do seu Android para mais 23GB como os HTC, não acredita, pois veja como é fácil e rápido!

A primeira coisa que você deve fazer é desinstalar seu aplicativo Dropbox original e depois de desinstalado você precisará baixar e instalar o aplicativo com a assinatura dos HTC que o pessoal do XDA disponibilizou aqui ou aqui.

Após a instalação do aplicativo Dropbox “assinado” você deverá preencher com suas informações da sua conta e pronto. Se não aparecer na hora, espere alguns minutos e verá que sua conta deu um salto da sua atual capacidade ganhando mais 23GB de espaço extra.

Agora, você pode desinstalar o app do Dropbox “assinado” e instalar o original que você pode baixar do Google Play Store. Para evitar qualquer contratempo, não esqueça de mudar sua senha. Pronto, agora você terá esses 23GB de espaço extra durante 2 anos, que é o prazo que a HTC mantêm no acordo com a Dropbox, caso você queira ficar além do limite, você terá que pagar pelo espaço extra após expirar os dois anos.

O tutorial é um tipo de cheat que você dá no Dropbox, portanto, há também a possibilidade do serviço detectar a trapaça e a qualquer momento , portanto faça o tutorial e arquive seus dados por sua conta e risco, nós não nos responsabilizamos por qualquer problema que você venha a ter. Se você guarda arquivos importantes, sugiro você não efetivar o hack.

Fonte:Diarioandroid

 

[UPDATE]

Esse metodo nao funciona mais, a empresa está removendo o espaço das pesosas que seguiram este procedimento: Clique aqui e confira

Descompactando arquivos no Linux

Quem é usuário Windows esta acostumado com apenas dois formatos de arquivos compactados, zip e rar, em ambos os formatos, é possível descompactar o arquivo utilizando programas como WinRar, mas e quando você esta no Linux, baixa um programa e se depara com formatos como tar, tar.gz, bz2 e tar.bz2?

Veja abaixo uma lista de comandos para descompactar arquivos nos formatos citados acima, através do terminal.

Antes de tudo entre no mesmo diretório em que esta o arquivo compactado, por exemplo, se o seu arquivo esta na área de trabalho entre então na área de trabalho utilizando o comando cd (cd /home/mundodoshackers/”Área de Trabalho”).

Arquivos ZIP

unzip nome_do_arquivo.zip

Arquivos RAR

unrar x nome_do_arquivo.rar

Arquivos TAR

tar -xvf nome_do_arquivo.tar

Arquivos TAR.GZ

tar -vzxf nome_do_arquivo.tar.gz

Arquivos BZ2

bunzip nome_do_arquivo.bz2

Arquivos TAR.BZ2

tar -jxvf nome_do_arquivo.tar.bz2

As distribuições Linux possuem um gerenciador de pacotes, com ele também é possível descompactar alguns tipos de arquivos, por tanto, além de utilizar os comandos acima, você também pode clicar duas vezes no arquivo compactado para ver se ele é aberto com o gerenciador de pacotes.

Se o gerenciador de pacotes conseguir abrir o arquivo, irá aparecer uma tela como essa:

Clique em “Extrair“.

Agora é só escolher o local em que você quer extrair o arquivo e depois clicar em “Extrair“.

No exemplo acima eu utilizei o gerenciador de pacotes da distribuição Linux Ubuntu 11.04.

Fonte:MundoHackers

GIFs animados no Facebook

Para quem achava que postar GIFs animados no Facebook  era impossível, apresento-lhes um aplicativo que permite exatamente isto.

A página “Ui, daora a vida”, possui um aplicativo que permite os usuários compartilhar e postar GIFs animados na rede social mais acessada do mundo. Para isso, clique aqui e curta a página, logo em seguida, basta usar o aplicativo. É fácil.

Não se preocupe, o app é 100% seguro e não trás nenhum risco ao seu perfil.

Fonte:Infomaniaco

Como posso enviar minhas reclamações e/ou sugestões para os produtos da Microsoft?

Texto escrito pleo meu colega de Microsoft, Fabio Hara

Se você está lendo este artigo provavelmente tenha já se perguntado como é possível enviar aquela reclamação de um produto, ou até mesmo enviar uma sugestão para que determinado produto faça o que você acredita que seja o mais correto. Na verdade este processo existe sim, e é possível interagir com a Microsoft. A Microsoft possui uma estrutura para poder atender estes tipos de interação entre times de desenvolvimento de produto e o mercado. Antes de mais nada é importante enteder alguns pontos fundamentais. Vamos lá.

A Microsoft é uma empresa global, com mais de 80.000 funcionários espalhados pelo mundo. Boa parte dos times de desenvolvimento ficam nos Estados Unidos, porém algumas equipes de desenvolvimento estão localizadas em alguns países , normalmente devido a localização de produtos, etc. Os produtos são desenvolvidos de acordo com uma estratégia de longo prazo, e existem equipes preparadas para suporte , implantação, etc. Com equipes enormes de desenvolvimento e prazos rigorosos não é tão simples assim simplesmente passar uma sugestão de produto e esperar que sua requisição será atendida instantaneamente. Além disso existem canais próprios (que é justamente o que mostrarei agora neste artigo) que voce deve utilizar para sugerir uma funcionalidade em um produto ou simplesment reclamar de um problema. Ultimanente com as redes sociais é facil para as pessoas reclamarem , porém voce pode ser mais eficiente direcionando sua questão para o canal certo.

Sugestão de novos recursos/funcionalidades em produtos

Muitos produtos da Microsoft permitem que o publico possa interagir com o time de produto de forma organizada e de facil acompanhamento. O principal canal que voce pode testar um produto, submeter seu problema/duvida ou questionamento é através do Microsoft Connect (http://connect.microsoft.com/). Através dele voce pode participar de vários programas de testes e acompanhar suas respostas. Para participar é bem simples: basta acessar com seu login do Live e selecionar quais programas de testes voce deseja participar. Obviamente nem todos produtos participam deste programa. O motivo é que possuem um cronograma bem delimitado e / ou que estão em uma fase de desenvolvimento prévio e não está aberto ao publico.  Um ponto interessante do Connect é que se voce reportar algum erro no programa de teste que está participando (e se for realmente um erro ou alguma funcionalidade que será importante então há um acompanhamento por e-mail.