Google Palestina Hackeado

Mirror do ataque: http://zone-h.org/mirror/id/20623377

 

FONTE: http://www.engenhariae.com.br/colunas/site-da-google-palestina-e-hackeado/

A página inicial do Google Palestina sofreu um ataque nesta segunda-feira (26/08), os responsáveis pelo ataque desfiguraram a página para exibir mensagens políticas no maior buscador do mundo.

As mensagens postadas na página se referiam ao fato de o Google Maps mostrar os territórios palestinos como se fossem pertencentes a Israel, em vez de mostrar claramente o nome “Palestina”.

No site, os hackers deixaram uma mensagem: ”Tio Google, nós dizemos oi da Palestina para lembrá-lo que o país no Google Maps não se chama Israel, se chama Palestina”, dizia a mensagem postada. “Pergunta: o que aconteceria se nós mudássemos o nome do país de Israel para Palestina no Google Maps?”, continuava o texto, que mostrava o mapa da região— em seguida, ainda sugeriram que os visitantes escutassem a cantora Rihanna.

Por volta das 17h35, o endereço google.ps levava para uma página que indicava “conta suspensa”. Segundo o siteZDNet, os servidores do Google não sofreram ataque. Os hackers conseguiram sequestrar o domínio do Google Palestina e redirecioná-lo para outro servidor no Marrocos. O domínio, no entanto, continua sob posse do Google.

Em maio deste ano, o Google trocou o nome de sua página inicial dirigida a usuários palestinos de “Territórios palestinos” para “Palestina”. Na época, o governo de Israel pediu ao Google que reconsiderasse sua decisão. Em uma carta enviada ao CEO do Google, Larry Page, o vice-ministro das Relações Exteriores de Israel, Ze’ev Elkin, afirmou que a medida pode minar os esforços para a paz na região.

O status oficial dos territórios palestinos é um assunto polêmico e ainda sem definição. Em novembro de 2012, a Organização das Nações Unidas (ONU) elevou o status da Palestina de “entidade” para “Estado observador não-membro” – medida que teve amplo apoio dos membros da organização, mas sofreu forte oposição dos Estados Unidos e de Israel.

Por mais que os hackers não estejam satisfeitos com a postura do Google sobre a Palestina, a empresa já tomou alguns pequenos passos para o reconhecimento da nação, que disputa territórios com Israel. A própria página do google.ps passou a exibir o nome “Google Palestinian Territories” para “Google Palestine” (de “Google Territórios Palestinos” para “Google Palestina”).

Anúncios