Conheça outros estilos do Google

O Google (motor de pesquisa muito usado) tem funcionalidades prontas a deixar os seus utilizadores de bom humor, mesmo quando têm algumas pesquisas enfadonhas pela frente :lol:
De seguida são apresentadas algumas funcionalidades acompanhadas de uma imagem, link para a funcionalidade e uma breve descrição.

Do a barrel roll


http://bit.ly/uT7a9E
Se se sente tonto :ups: , então não aceda a este link, pois o Google irá dar a volta à cabeça (mais propriamente uma de 360⁰).

Google Sphere


http://bit.ly/uXfgyO
E se os links deixassem de estar sempre no mesmo sítio e começassem a orbitar o campo de pesquisa? Experimente e veja se lhe é útil!

Epic Google


http://bit.ly/uGANwB
Tenha cautela, o Google sente-se excessivo, faça a sua pesquisa depressa ou depara-se com um campo de pesquisa excessivamente grande!

Google Gravity


http://bit.ly/nLGzd1
Tantos anos com os links suspensos na parte superior no ecrã, algum dia a gravidade teria de levar a melhor :D

Tilt


http://bit.ly/vNtlSn
Não, não está com problemas nos olhos, o Google está mesmo inclinado (ou então é melhor deixar de beber :lol:)!

Google Loco


http://bit.ly/urU8vW
Pois é, até os melhores têm dias assim! É a loucura da pesquisa!

Google Gothic


http://bit.ly/v2VhZm
Sente-se um pouco “dark”, então o Google pode completar esse seu estado de espírito! Página para Góticos :twisted:

Google Pacman


http://bit.ly/s1nNin
Vai um joguinho? Como é bom recordar os velhos tempos em que o Pacman era o jogo mais popular ;) Clique na imagem por cima do campo de pesquisa e use as setas do teclado para controlar o Pacman evitando os fantasmas :sneaky:

Google Guitar


http://bit.ly/uiJKH1
Hoje apetece-se dedilhar uma música? Então experimente esta funcionalidade.

Google Pirate


http://bit.ly/tNQmEa
Alerta, os piratas decidiram tomar o Google. Observe os links e todo o texto ;)

Google Rainbow


http://bit.ly/uNc4cy
Um arco-íris tomou de assalto as letras da página do Google!

Google Reverse


http://bit.ly/vL87YT
Não, não inverteu o ecrã do seu computador, o Google ficou mesmo todo trocado!

Fonte: UbuntuED

Anúncios

Visite a sede do Google usando o Street View

visite a sede do google usando o street view

Quando nós geeks vemos o nome desta empresa logo nos vem uma louca vontade e um pensamento incontrolável como “um dia trabalharei lá”, bom, enquanto isso não vira realidade, existe uma coisa que você pode fazer, que tal dar uma espiadinha no quartel general do Google lá em Mountain view, Califórnia? Mas Ricardo, isso não era possível. Calma, com a recente atualização agora ficou possível sentir o gostinho de como é estar neste local de trabalho incrível.

As imagens disponibilizadas no serviço oferecem um passeio pelo campus onde a sede da empresa está situada. É possível conhecer os jardins e entrar na recepção do principal edifício do complexo, onde alguns dos mais importantes executivos do Google trabalham. Por uma série de questões de segurança, no entanto, não é possível visitar a sala de Larry Page, CEO do Google.

A maior parte do material é bem recente. Num calendário na recepção do Edifício 43 – o mais importante do complexo – é possível verificar que a fotografia foi tirada no mês de agosto. Algumas imagens até possuem marca d’água com o ano de 2009.

A navegação está restrita às áreas a céu aberto da sede do Google. Como a empresa não fez qualquer anúncio sobre a atualização, não se sabe se o acervo da sede do Google em Mountain View será expandido, permitindo aos curiosos acesso a mais elementos do complexo.

Fonte:Infomaniaco

Google lança certificações

Texto do colega Atilla Arruda

Demorou um pouco mas a Google resolveu entrar para o mundo de certificações que movimenta bastante dinheiro anualmente para os fabricantes de TI. A nova certificação chama-se Google Apps Certified Specialist que possui 98 questões de múltipla escolha e duração de 2 horas e 45 minutos. A melhor maneira de se preparar para o exame é ter experiência hands-on na implantação do Google Apps para empresas de diversos tamanhos. A Google recomenda que o profissonal tenha um mínimo de 3 a 6 anos de experiência em TI, e completar pelo menos 3 implantações de clientes que envolvam a migração de dados e alguma complexidade técnica.

Para aqueles que queiram realizar o exame, o valor da prova é de 100 dólares e a mesma poderá ser realizada online. Entretanto, todo o exame será acompanhado e supervisionado através da sua webcam por um profissional representante da Google. Estranho não? Você não terá permissão para deixar o seu computador, visitar sites da Internet, receber telefonemas ou mensagens de texto, ou escrever durante a duração do exame. O inspetor pode parar o exame a qualquer momento se houver alguma irregularidade.

E não pode ser qualquer webcam! 🙂 A única webcam aceita é a seguinte:

http://shopping.netsuite.com/s.nl?c=1001270&n=1

Qualquer outra webcam não é permitida e autorizada para que você possa realizar este exame de certificação. Vale destacar que imediatamente após a conclusão do exame, você irá receber o resultado na tela e que o exame só esta disponível no idioma inglês.

Maiores informações sobre esta prova poderão ser encontradas no seguinte link:

http://certification.googleapps.com/

Será que essa moda de fazer exames online, porém monitorados, vai pegar?

Google agora até dentro do seu corpo

Era questão de tempo: o Google já nos permite explorar a Terra, os mares, o céu – só faltava entrar no nosso corpo. Não falta mais! Com o Google Body Browser, você pode ver um corpo humano camada a camada no seu navegador, sem instalar qualquer plugin.

O navegador corporal funciona nos navegadores com suporte a WebGL, padrão aberto de renderização de imagens, e suportado pelo Chrome e Firefox. Você pode ver músculos, ossos, órgãos, e os sistemas circulatório e nervoso, dar zoom e ativar etiquetas com o nome de cada região do corpo.

A função mais legal é a busca: digite o nome de um órgão ou região do corpo e você é levado direto a ela. Ele até tenta adivinhar qual parte você está digitando – ou seja, você não precisa digitar o nome todo nem teclar Enter para achar seu estômago, veia cava ou escroto. Você pode até copiar o link da página e compartilhá-lo, para ir direto à imagem, camada e nível de zoom que você estiver vendo. Nem todos os órgãos estão mapeados: digitar “heart” não te leva ao coração – mas o serviço está em beta, então isto deve ser melhorado com o tempo.

E tem um detalhe: o Google Body Browser está todo em inglês, e segundo o Google Brasil, não há planos para traduzi-lo para o português. Felizmente, você pode combinar seus conhecimentos de biologia com o Google Tradutor e ir navegar pelo corpo humano. [Google Body Browser via Folha] Fonte

Chrome OS: conheça a visão do Google sobre o sistema operacional

O Chrome OS finalmente chegou, em sua forma completa e final, e eis o resumo: trata-se de um sistema operacional completamente baseado na nuvem que funciona dentro de um navegador do Chrome, com capacidade de ligar instantaneamente e uso de dados por meio da operadora Verizon, nos EUA.

O Chrome OS trabalha inteiramente como um navegador, o que significa que você pode rodá-lo dentro de qualquer Chrome, ou qualquer sistema operacional compatível, ou numa máquina dedicada. O Chrome dá acesso às “pastas” direto do navegador, salvando no cache os aplicativos e documentos que você usará no modo offline.

Notebooks com Chrome OS também terão acesso à rede 3G, e nos EUA a Verizon já é a primeira parceira do Google, oferecendo 100MB de dados gratuitos por mês nos próximos dois anos. Há também uma variedade de planos sem necessidade de contrato.

CLIQUE EM LEIA MAIS

Continuar lendo

Meu Android agradece: Google Maps para Android está mais rápido, mais fluido, tem modo 3D e funciona offline

O Google acabou de revelar o novo app Mapas 5.0 para Android, a ser lançado em breve. O que há de novo nele? Bem, ele renderiza edifícios em 3D, carrega mais rápido, funciona offline e gira o mapa automaticamente, de acordo com a bússola do celular.

Graças ao tamanho de arquivo menor e à escalabilidade dos novos gráficos no Mapas, de vetores desenhados de forma dinâmica, o app agora renderiza os mapas em tempo real, e baixa cerca de 100 vezes menos dados – o que resulta em tempos menores de carregamento e zoom superfluido. (Antes, os mapas eram baixados como “ladrilhos”, e o zoom precisava que esses ladrilhos fossem carregados de novo.) Os novos modelos em 3D vão começar a aparecer à medida que você se aproxima do nível da rua, e você até pode inclinar o mapa usando um gesto com dois dedos, alterando a orientação vertical do mapa para ter uma ideia da altura dos prédios. Imagine chegando na Avenida Paulista, em São Paulo, e reconhecer instantaneamente onde você está vendo os edifícios em 3D ao seu redor. Cem cidades, como Nova York, terão suporte à função logo de início.

Mas talvez a melhor parte do app atualizado sejam as ferramentas de rotação. Você pode girar o mapa usando a tela multitoque, ou deixar o app girar o mapa sozinho de acordo com a bússola. Então se você estiver andando em uma rua movimentada, o mapa gira quando você virar para outra direção, provavelmente evitando que o usuário perca o senso de direção. E se você quiser uma visão diferente do mapa, você pode mover dois dedos em movimento circular para girar o mapa ao seu gosto.

Neste update, também temos um modo offline, que lembra áreas que você visita mais e guarda o mapa dessas áreas no cache para que, se a conexão cair, você não fique sem navegação. O Mapas baixa e faz cache dos dados das áreas que você mais visita à noite, via Wi-Fi. Uma demonstração rápida que vimos nos deixou impressionados: a maior parte de Nova York ficava na memória – até os modelos 3D dos edifícios e três camadas de zoom no mapa – depois que o celular foi colocado em modo offline. O Google diz que isto deve compensar 90% das vezes que o app não funciona por causa da conexão – e o Navigation, app do Google que funciona como um GPS, até recalcula a rota caso o sinal caia, se você não virar onde devia.

O novo Mapas será lançado em breve, e seu requerimento mínimo é o Android 1.6, mas funções como renderização dinâmica e rotação de mapas só vão funcionar em hardware mais avançado: basicamente, seu aparelho precisa ser pelo menos tão potente quanto o Motorola Milestone, mas talvez funcione em aparelhos menos parrudos também. O novo Mapas fornece uma experiência incrível, e esperamos que elas apareçam em outros aparelhos sem Android e com Google Maps o mais cedo possível.

Fonte